.posts recentes

. NATAL DE MENINO LUZ

. NATAL MISERICÓRDIA

. O HOMEM e a NATUREZA

. HOMEM PEREGRINO

. (D)O ventre da Mãe ao Amo...

. À PROCURA DE… ECCE HOMO (...

. ...

. EM NOME DE…

. ECO...da/na Vida

. Do Natal, sal e luz

.arquivos

. Dezembro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Dezembro 2014

. Setembro 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Abril 2013

. Dezembro 2012

. Agosto 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Dezembro 2010

. Maio 2009

. Abril 2008

. Outubro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Fevereiro 2007

. Abril 2006

Sábado, 2 de Novembro de 2013

na austeridade com caridade crónica LXIII Ecos da Sobreira

No princípio era assim…sob o signo da Família

 

No princípio era assim…

Deus criou-os homem e mulher com igual dignidade mas diferentes e complementares entre si, e disse-lhes: crescei e multiplicai-vos. (livro do Génesis)

Na exortação apostólica Familiaris Consortio (1981), o então Papa João Paulo II escrevia: «A Família nos tempos de hoje, tanto e talvez mais que outras instituições, tem sido posta em questão pelas amplas, profundas e rápidas transformações da sociedade e da cultura.»

É facto que o assunto família tem vindo a ganhar espaço e lugar nas conversas comuns, nos debates sociais e até nos programas políticos. Parece que tudo é culpa da família e à família tudo é devido. À família tudo se promete e da família tudo se espera. Questiona-se a matriz de família e legisla-se em abono de nova organização familiar.

Quase nos apetece gritar: para onde vais família? Que fizeram de ti?

O dicionário elementar ensina-nos que família é «conjunto de pessoas ligadas por laços de consanguinidade, que vivem na mesma casa, especialmente o casal e os filhos; agregado familiar. Conjunto de pessoas ligadas por quaisquer laços de parentesco, vivendo ou não na mesma casa.» Em sentido lato, aplica-se também a família humanidade.

Como aceitar pois que se considere família um grupo de pessoas formado por duas pessoas do mesmo género/sexo? E mais grave ainda é que a este suposto ‘casal’ antinatura se permita a adopção de uma criança!

A família natural é a unidade básica da sociedade, o núcleo social privilegiado para o crescimento e socialização primeira da pessoa, «o ambiente propício para o desenvolvimento integral do ser humano» (D. Antonino, bispo de Portalegre-Castelo Branco, carta pastoral ‘Cinco pães e dois peixes, 2012). Urge pois arrepiar caminho no campo social e travar batalhas dignas e legítimas pela reposição dos valores fundamentais que enformam a matriz da família natural.

A propósito, o Papa Francisco determinou que o próximo ano apostólico seja centrado na família. E neste mesmo espírito, a família foi celebrada no dia 26 de outubro na Praça de São Pedro, em Roma. Também o ano sinodal 2013-14 da diocese de Portalegre-castelo branco vai ter como tema de reflexão e propositura «a natureza e missão da família».

No princípio de que a família é realmente uma comunidade de pessoas, na qual os pais homem e mulher são chamados a cumprir o dom da vida que lhes foi outorgado pelo criador mas também a serem transmissores de valores fundamentais: a verdade sobre o homem, a génese e essência da vida, o primeiro conhecimento e a cultura de família, assim se assuma a família como a primeira comunidade educativa e fundamental escola de sociabilidade da criança.

Porque «o futuro da humanidade passa pela família!» (João Paulo II, Familiaris Consortio, 1981)

  

  

Proença-a-Nova, 20 de Outubro de 2013

publicado por AlfBernardo Couto às 13:49
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds